Sustentabilidade

Eficiência energética e Emissões

Sempre atenta à redução de impactos ambientais e visando contribuir com a conscientização sobre a sustentabilidade, a JSL adota condutas que proporcionam a redução de consumo e resíduos, tais como o uso racional do combustível e a realização do inventário de emissões.

Na área de eficiência energética há práticas como a substituição de lâmpadas comuns por lâmpadas de LED, a utilização de combustível com baixo teor de enxofre - possibilitando reduzir a emissão de fumaça branca e aumentar a vida útil do óleo lubrificante - e o uso de defletores. Outras ações são o treinamento de direção defensiva e condução econômica e a utilização de veículos especiais que oferecem aumento da ocupação e, consequentemente, redução da emissão de CO2, como bitrens e outros.

Um destaque do ano de 2018 foi a inclusão no mercado livre de energia da unidade intermodal, em Itaquaquecetuba. No ano anterior havia sido incluída a sede administrativa da empresa, em Mogi das Cruzes, o que possibilitou alcançar até 50% do consumo de energia a partir de fontes renováveis (solar, eólica e biomassa). Atualmente, estamos realizando um estudo para avaliar a possibilidade de ampliação para mais cinco filiais.

O consumo de eletricidade em 2018 foi de 52.932.716,16 kWh, considerando as operações da JSL e Movida. O percentual de aumento em relação ao consumo de eletricidade da JSL no ano anterior foi de 1,4% (não consideramos a Movida nesta comparação pois em 2017 não possuíamos os números do consumo desta empresa).

Conforme descrito na tabela abaixo, as metas de redução do consumo de energia foram alcançadas na sede administrativa e na unidade intermodal, ambas certificadas com a ISO 14.001:2008.

Emissões

De acordo com as diretrizes do GHG Protocol, a JSL realiza a cada ano seu Inventário de Emissões, ferramenta utilizada internacionalmente para entender, quantificar e gerenciar emissões de gases de efeito estufa (GEE). Além disso, utilizamos outro mecanismo para a gestão das emissões: são os relatórios do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), órgão que realiza avaliações regulares sobre o assunto.

Com base em todas as operações da empresa, o total de emissões diretas (Escopo 1) e indiretas (Escopo 2) no ano de 2018 foi de 348.175,30 t CO2eq, apresentando uma redução de 39% em comparação aos 574.054,80 t CO2eq de 2017. As emissões biogênicas foram de 34.560,34 t CO2eq.

Em 2018, a JSL revisou o critério utilizado para determinar quais emissões de gases de efeito estufa (GEE) seriam consideradas de "controle operacional" da empresa, principalmente quanto ao consumo de combustíveis por fontes móveis (principal fonte de emissões da JSL). Após alinhamento metodológico, realizado diretamente com o Programa Brasileiro GHG Protocol e com clientes de larga escala, a JSL passou a alocar as emissões de combustíveis, utilizados nas operações dos seus equipamentos, conforme o critério de "pagamento direto pelo combustível".

Ou seja, quando os clientes pagam diretamente pelo combustível utilizado, as emissões são contabilizadas no Escopo 1 dos clientes e alocadas no Escopo 3 da JSL, mesmo que operados por funcionários da JSL. No Escopo 3 da JSL, as referidas emissões são categorizadas como "uso de bens e serviços vendidos". A mudança foi adotada para aprimorar o inventário, bem como reforçar os princípios de transparência e integralidade. Esses princípios são preconizados pelas metodologias de elaboração de inventários de GEE e, com isso, a JSL assegura que não haja dupla contagem no Escopo 1 da JSL e de seus clientes.

Em 2018 não houve emissão de substâncias que destroem a camada de ozônio (SDO), conforme protocolo de Montreal.

Carbon Free

O programa Carbon Free é uma iniciativa que, através do plantio de árvores, contribui para a neutralização das emissões de poluentes, reduzindo os impactos das mudanças climáticas. Desde 2011, todos os clientes da Movida são convidados a participar do programa por meio de pagamento de uma taxa adicional ao valor da diária no aluguel de veículos. Cada adesão também conta com participação financeira direta da Movida, que compartilha a responsabilidade.

Em 2018, lançamos o Carbon Free para a Gestão e Terceirização de Frotas - GTF, elemento decisivo para a renovação de diversos clientes. Devido a esse produto, a Movida foi premiada pelo Frotas & Fretes Verdes, como Empresa com Sustentabilidade em Processo/Produto.

No ano de 2018, mais de 90 mil metros quadrados foram reflorestados e 11.383 mudas plantadas por meio desta iniciativa, contribuindo para o sequestro de CO2. Os plantios são realizados por meio de parceria estabelecida com a Fundação SOS Mata Atlântica.

Água

Considerando as diretrizes legais, a JSL busca utilizar a água com consciência e de modo racional. Neste sentido, implantamos sistemas de reuso e de melhoria da eficiência do uso hídrico em todas as unidades da Companhia, além de monitorar o consumo e construir estações de tratamento de água nas filiais onde o consumo é significativo. Outro bom exemplo é o racionamento de água nas garagens onde se realiza manutenção de veículos.

Para conscientizar colaboradores e terceiros sobre o uso racional da água, a JSL divulga campanhas regulares por meio de seus canais de comunicação.
Em 2018, o consumo total de água na organização foi de 1.122.454,30 m3, considerando as operações da JSL e Movida*. O aumento em relação ao consumo de água da JSL em 2017 foi de 78,85% (não possuíamos os números do consumo da Movida, referentes a 2017). A elevação do número é explicada pela evolução da contabilização do consumo internamente.

Apesar do aumento, as metas de redução para 2018 foram atingidas tanto na sede administrativa quanto na unidade intermodal.

Resíduos

Alinhada à Política Nacional de Resíduos Sólidos, a Gestão de Resíduos da JSL tem o objetivo de, através de suas práticas, se apropriar da responsabilidade dos itens que utiliza, buscando minimizar os impactos ambientais de suas atividades.

Além do monitoramento do consumo dos insumos utilizados nas operações, garantimos o descarte correto de itens como pneus e óleo lubrificante, sendo este último 100% encaminhado para o processo de rerrefino, onde são reinseridos na cadeia produtiva desse mesmo produto. É importante salientar que os abrigos para armazenamento temporário atendem à NBR 12.235, norma regulamentadora para armazenamento de resíduos sólidos perigosos.

Em 2018, foram transportadas 5,1 mil toneladas de resíduos perigosos, que são classificados segundo a NBR 10.004 e, em seguida, destinados para empresas de "blendagem". Posteriormente são encaminhados para cimenteiras, onde são utilizados como fonte alternativa de energia através do coprocessamento.

Os resíduos classe I gerados pela empresa são gerenciados por clientes devidamente homologados, que efetuam manutenções em veículos e máquinas e se encarregam do transporte e destinação desses itens.

Última Atualização em 10 de Julho de 2019

Voltar Topo

Linha do Tempo

Mais acessados
Fechar